top of page

Projeto Decisão Empreendedora e parceria com Instituto SYN



Neste mês, inspirados pela conclusão do Projeto Decisão Empreendedora, traremos diversos conteúdos para nosso blog e para redes sociais sobre o processo de tomada de decisão.


No Blog AdC de hoje, conversamos com Grasiela Silva e Alexandre Santos, do Instituto SYN, que financiou o projeto. Falamos sobre a parceria com a Aventura de Construir, a importância de se trabalhar este tema com os empreendedores, e muito mais.


Confira abaixo!



Aventura de Construir: Para começar, peço que se apresentem, falem um pouco sobre vocês e o seu trabalho…


Grasiela Silva: Meu nome é Grasiela, tenho 39 anos, sou formada em Administração de Empresas e estou na companhia há 9 anos. Fiquei 5 anos no financeiro de um shopping, das nossas unidades de negócio, e depois chegou o convite para trabalhar no Instituto SYN.


Eu não tinha expertise de área social, em investimento social, e vim para o instituto para aprender essa grandeza que é o terceiro setor, dentro de uma empresa que tem grandes valores de filantropia. Isso vem da gestão, mesmo através do Senhor Eli e mesmo da nossa gestão atual, do nosso CEO, CFO e diretor executivo. Eles têm muito esse viés social.


Alexandre Santos: Eu sou o Alexandre, ajudo na gestão do Instituto SYN junto com a Grasi. E trabalhamos com o nosso diretor, o Aron. O nosso trabalho é fazer a gestão dos projetos, como esse com a Aventura de Construir, fazer a relação com os parceiros e na medida do possível acompanhar in loco. Eu acho que é muito gratificante quando a gente consegue ver de verdade, faz mais sentido do que só fazer a parte burocrática, de contrato, essas coisas todas.


Eu particularmente também respondo pela comunicação do Instituto, e já estou há um ano e meio no Instituto SYN.



AdC: Expliquem um pouco do trabalho do Instituto SYN e quais são as linhas de atuação…


Alexandre Santos: O trabalho do Instituto SYN é atender o entorno dos empreendimentos da SYN. O Instituto é o braço social da SYN PROP & TECH, que tem prédios comerciais e shopping centers em diversas cidades. São quatro shoppings aqui em São Paulo, três na cidade de São Paulo e em Santo André; um no Rio de Janeiro e um em Goiânia.


A gente atua em quatro pilares, dentro da nossa linha de atuação, que são: Empreendedorismo, como no projeto com a Aventura de Construir; Empregabilidade; Relacionamento e Cultura; e Voluntariado. Então são duas premissas principais: trabalhar no entorno dos shoppings, ou seja, tudo o que a gente faz é voltado para gerar prosperidade para a comunidade local, e sempre dentro desses quatro desses quatro pilares. E a gente faz a gestão de 1% do lucro líquido da SYN, que vai para o Instituto, para tocar esses projetos.


Grasiela Silva: O Instituto SYN começou lá em 2014, bem timidamente tocado pelo Instituto Cyrela, mas hoje a SYN não é mais uma spin-off da Cyrela. Em 2018, com a ajuda da Ponte a Ponte, nós tivemos a realização da Teoria da Mudança, então reestruturamos e definimos os pilares que iríamos atuar, conforme as nossas unidades de negócio e aquilo que naquele momento a gente entendia ser o melhor para destinar os nossos valores.


Desses pilares a gente puxa vários eixos, é onde a gente se transforma em um instituto de capacitação, e não um instituto assistencialista. Com esse pensamento mais maduro, atuamos na empregabilidade, em realmente fornecer uma capacitação para que a pessoa possa entender e estar preparada para o mercado de trabalho.


No empreendedorismo, o mesmo formato. Temos a mentalidade de formar a pessoa para ser realmente dona do negócio dela. Não só saber executar o produto dela mas saber o além. Aí entra a Aventura de Construir com toda a expertise. Nós nunca fazemos nada sozinhos. A gente tem grandes parceiros e essa é uma crença do instituto. Então a gente sempre se conecta muito bem a um parceiro que transmite esses valores.


E o voluntariado é a conexão perfeita, porque todo esse trabalho é muito difícil de tangibilizar para o meu público interno. Geralmente eu estou dentro de uma sala fazendo várias coisas que o nosso time corporativo não vê. Mas quando eu falo de voluntariado eu marco a vida das pessoas, eu chamo elas para perto e elas se tornam pertencentes. A cada voluntariado que finalizamos, eles falam "nossa, hoje eu vejo o Instituto".


Então, acho que a cada ano a gente é muito feliz nas realizações porque temos boas parcerias.



A parceria com a Aventura de Construir vem de alguns anos, desde os Realidade Empreendedora I, II e III. Do ponto de vista de vocês, como surgiu esta parceria e qual a importância de realizar projetos com microempreendedores de periferia?


Grasiela Silva: A relação com a Aventura de Construir começou bem timidamente. Nós fizemos um pequeno aporte para uma exposição no metrô. De lá para cá fomos nos conhecendo, e quando entendemos a conexão com o nosso pilar de empreendedorismo fizemos o primeiro projeto Realidade Empreendedora 1. Quando conhecemos o público de vocês, o jeito de trabalhar, o formato, tivemos um êxito muito grande. A partir daí realizamos o projeto 2 e 3, porque a gente entende que acrescenta muito aos beneficiários.


A gente fez visitas aos empreendedores e, nesse ano, me marcou muito a conexão que Aventuras de Construir tem além da "sala de aula". A atenção e o formato de atuação que a AdC tem, as mentorias realizadas fazem todo sentido pra pessoa. Tira ela do conforto, mas faz ela entender o que é o empreendedorismo. Muitas outras capacitações e cursos acontecem e depois a pessoa continua ali, tocando as coisas dela dentro de casa, sem mudar muito o pensamento.


Esse ano, todos os empreendedores e microempreendedores que a gente conheceu, e que participaram do Projeto Decisão Empreendedora, tiveram uma visão de erros e acertos. Conseguiram colocar o dedo na ferida e falar assim “se eu quero estar no mercado, eu preciso fazer isso. Se eu quero realmente ser um empreendedor, e não brincar de empreendedorismo, eu preciso disso”.


Nesse ano eu tenho certeza que o projeto impactou muitas vidas. Todo ano é muito bom, e esse ano foi melhor ainda. A gente conseguiu fazer um fechamento presencial no Tietê, um shopping nosso na zona norte, e os cases que vão sair desse projetos são cases de realidade mesmo. Mostrar um resultado para empresa como esse, que é o que ninguém vê, é muito gratificante.


Alexandre Santos: O trabalho da Aventura de Construir vai muito em linha com o empreendedorismo, que a gente entende como um dos nossos principais pilares. Como existe um forte trabalho da AdC na região de Pirituba, na região próxima ao entorno do Tietê Plaza, foi um match muito fácil de ser dado. Existe também uma boa relação da direção da AdC com a nossa direção e a gente acredita muito no trabalho de vocês.


Entendemos que faz muito sentido esse trabalho personalizado que a Aventura de Construir faz. Às vezes, quando estamos negociando um novo projeto falamos em impactar mais pessoas, mas ao mesmo tempo entendemos, vendo o trabalho de perto, que quanto mais pessoas você atende menos personalizado é esse trabalho.



Após 3 edições do Realidade Empreendedora, este ano realizamos o Decisão Empreendedora. Qual é a importância de realizar um trabalho focado no processo de tomada de decisão?


Alexandre Santos: No encerramento do projeto, quando houve a entrega dos certificados, eu tive uma fala com os empreendedores e falei para eles que ser empreendedor já é uma decisão muito difícil de ser tomar. Muitas pessoas entram no empreendedorismo porque algo deu errado, ou por desemprego, ou uma série de fatores. E muitas vezes as pessoas entram sem ter muita noção do negócio.


Sabe fazer o seu produto, mas também precisa saber vendê-lo, apresentá-lo e quando o negócio cresce um pouco tem que tomar algumas decisões importantes. Precisa saber como melhorar, como ampliar, para não falir como a maioria dos empreendedores que estão iniciando. Então esse amadurecimento que o projeto Decisão Empreendedora proporcionou faz muita diferença na maturação do empreendedor.


Grasiela Silva: Acho que o Decisão Empreendedora fez um recorte na vida dos participantes. Ficaram aqueles que perceberam não estarem totalmente preparados, que precisam voltar para o Realidade Empreendedora para aprender um pouco mais, e aqueles que perceberam que precisam decidir e decidiram por ser microempreendedores. Então para aqueles empreendedores que nós vimos no Tietê, para os 40 participantes, o Decisão Empreendedora foi um marco nas suas vidas.



Qual é a perspectiva de vocês sobre o trabalho da Aventura de Construir e da atuação com o público?


Alexandre Santos: Eu acho que o principal é a humanização do trabalho. Desde a pandemia, a gente teve um boom de projetos virtuais, de encontros virtuais, e até agora a gente ainda está reaprendendo a ter esses encontros pessoais. Mas com o olho no olho você percebe o carinho que os empreendedores têm com todo mundo da AdC. Então o grande ganho é esse olho no olho.


A gente visitou alguns empreendedores ao longo da jornada e conhecer um pouco as histórias, realizar essas visitas, essas rodas de conversas, são muito importantes.


Grasiela Silva: Eu sou bem fã do trabalho da AdC. Gosto muito da responsabilidade de execução do projeto. Eu vejo o cuidado que tem com cada indivíduo, com cada participante. Não é uma sala de aula onde se aplica uma matéria e amanhã é outro dia. Muitas vezes, a equipe da AdC teve que voltar, e conversar com o empreendedor sobre as dificuldades. Eu acho que essa é a diferença dessa parceria.


E a gente espera coisas novas e grandes para 2024, e eu espero mesmo que a gente possa ampliar o número de pessoas impactadas no projeto. Que a gente consiga abraçar mais algumas coisinhas e trazer mais pessoas, porque é um projeto muito bacana. E com as estatísticas de empreendedorismo hoje no Brasil, a gente consegue compreender que as pessoas precisam disso.



Falando sobre o futuro, quais as próximas ações do instituto SYN, seja com a Aventura de Construir ou no geral?


Grasiela Silva: Eu tenho uma grande vontade de impactar todo mundo. A gente fica muito ali na Zona Norte, no Tietê, porque é um público que realmente precisa, mas a gente tem empreendedor em todo canto. Então podemos ampliar um pouco esse horizonte e estender esse projeto aos demais shoppings e ao entorno deles. Eu acho que vai ser um grande acerto para nós como Instituto.


Alexandre Santos: Em 2024, a gente planeja dar um salto grande no instituto, em vários aspectos. A gente quer tornar os nossos shoppings em hubs sociais mesmo, criar realmente uma relação maior até com os lojistas, com nossos clientes. E seguimos tocando os quatro pilares que nos norteiam, que são o nosso farol.


Sobre outro projeto com a Aventura de Construir, dependendo da equipe, de estudarmos as possibilidades. Mas acho que em time que tá ganhando não se mexe, então se for tudo ajustado, bem direcionado, por que não manter essa parceria. A gente tem uma relação bem saudável com todo o pessoal da AdC.


Comments

Couldn’t Load Comments
It looks like there was a technical problem. Try reconnecting or refreshing the page.
bottom of page