top of page

O bem comum também tem números




Os projetos realizados pela Aventura de Construir seguem o princípio de partir da realidade. Muitas vezes, isso significa a realidade de ter uma família para sustentar e filhos pequenos.


No projeto “ProtagonizAqui”, realizado com migrantes latino-americanos, essa realidade se torna ainda mais severa e quando eles chegam ao Brasil essa realidade se torna uma esperança, também para o futuro das crianças que o acompanham.


Para elas, participar dessa jornada pode se tornar uma aventura. A inocência de não enxergar as dificuldades permite que elas vejam novas possibilidades. Quando uma criança participa de um projeto com seu familiar, de forma esporádica, tem a visão da inclusão e pertencimento de algo, que fazem acreditar no futuro.


Assim foi no projeto “ProtagonizAqui”, as ações e metodologias criaram pontes para um novo futuro, como comenta Sumito Estévez no artigo escrito sobre o projeto e a AdC.



Confira abaixo!



Por Sumito Estévez


Em 2022 a Associação Aventura de Construir me convidou para ir a São Paulo para fazer parte do componente gastronômico de um projeto de formação, de longa duração, batizado como "ProtagonizaAqui”. Tratava-se de um projeto profundamente ambicioso, que buscava acelerar tanto o caminho para o trabalho, como o do empreendedorismo em refugiados, ou àqueles em condições de alta vulnerabilidade.


Eu participei em um monte de projetos onde a gastronomia é veículo de emancipação e liberdade. Eu vi como a panela e o fogo podem mudar a vida de alguém e sua família, e ter um enorme impacto social em seu entorno. Mas também aprendi a me tornar cético porque honestamente, há mais vezes em que vejo com alguma impotência, como muito boas intenções (e recursos) estão desaparecendo por falta de método (que ameaça a continuidade a longo prazo) ou por falta de disciplina financeira (traduzida quase sempre em burocracia).


O que eu vi e vivi no caso da Aventura de Construir e seu projeto ProtagonizAqui me pareceu marcante, porque se trata da união virtuosa de três fatores que juntos são muito poderosos: um quadro de leis humana, um grupo de trabalhadores da associação que se veem e conhecem empreendedores sociais, e, portanto, decidem empreender em seu trabalho com formação rigorosa, e com método. Analisemos um pouco esses três fatores para entender como juntos podem chegar a gerar um benefício humano e econômico quantificável em cada uma dessas arestas de impacto.


1. No direito internacional, a República Federativa do Brasil é considerada um exemplo de acolhida humanitária e ordenada de refugiados, sendo a Portaria 670/2022 , publicado em 1º de abril de 2022, que regulamenta e permite a entrada de refugiados e migrantes no país, e é específica quanto à recepção de “migração originada por uma crise humanitária”. A grande tragédia dos refugiados é que eles querem trabalhar e ser parte ativa da economia do país de acolhida, mas geralmente o quadro de leis não o permite. Sendo concreto: o Brasil não só acolhe os refugiados mas dá-lhes as facilidades legais para que sejam parte do aparato produtivo.


2. Basta olhar para a equipe principal da Aventura de Construir para encontrar profissões essenciais para que o trabalho social seja visto na perspectiva do empreendedorismo: economista, cientista social, gestor comercial, especialista em políticas públicas, administrador de empresas, especialista em logística, engenheiro em informática, assistente social, jornalista, especialista em relações públicas. Este quadro de profissões juntas fala claramente de uma intenção. Se pode notar que se veem como uma corporação que precisa dos melhores em cada área, os busca e os forma. Eu fui pessoalmente nos diretórios de trabalho da Aventura de Construir e não há diferença entre o que ali se vive e qualquer empresa com fins lucrativos.


3. Das coisas mais interessantes na Aventura de Construir é sua clareza que só através de métodos é possível replicar e sustentar experiências a longo prazo. Infelizmente em o artigos de imprensa há um ditador que é o número de caracteres que se pode escrever, mas os convido a baixar o documento Aprender a empreender , a visitar seu blog , ou a ler seu completo Relatório de Atividades e Impacto 2022 para entender que a visão social da Aventura de Construir é concreto, metodológica, replicável e quantificável. Sinceramente me parece seu método de trabalho um exemplo e modelo para qualquer organização que esteja dedicada ao empreendedorismo social.


Eu como imigrante venezuelano me choco profundamente com o terrível "tsunami" que está tendo na vida das pessoas o que é considerado um dos fluxos mais importante de pessoas por razões humanitárias. Os números e depoimentos colocam o coração a ficar pequeno e por isso se agradece tanto quando as soluções são reais e de longo prazo.


Dos venezuelanos que têm entrado no Brasil 72% tem idades entre 18 e 65 anos (janela de idade para trabalhar legalmente até a aposentadoria), 100% têm um agradecimento profundo pelo Brasil. Sabemos que historicamente os refugiados e migrantes são potencialmente empreendedores. De fato, se forem permitidos, os migrantes são uma força de contribuição econômica tremenda porque literalmente, eles já não podem mais se dar ao luxo de perder tempo.


Um país humano, um método e uma associação que busca o bem comum… Combinação imparável e virtuosa para o Brasil!



Comments

Couldn’t Load Comments
It looks like there was a technical problem. Try reconnecting or refreshing the page.
bottom of page